Parte do coletivo Soylocoporti

Olhares de (apenas) uma latino-americana

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

Livra o nome de inúteis sons

, , ,

Livra o nome
de inúteis sons
de letras a mais
ou a menos

Livra o destino
do nome gravado
Do nome escrito
em areia do tempo,
no imutável tempo
do nome

Livra a alma
de escudos, estrelas demais
De tudo supérfluo,
de toda superfície,
do aluamento do ser

Livra a liberdade
de todo lastro
De qualquer lustro
De vocábulos insólitos, grandiloqüentes,
feitos de nada,
vocábulos de enfeite, confeitos

Livra-te do palmo de terra
que te cabe
De panfletos do sentimentalismo
Dos improvisos da paixão

Livra-te de ti
antes de tudo
Livra-te a fio de navalha
Livra-te a fio de idéia
que da dor faz palha

Livra-te de idéias fixas
Porque a dor alheia
também é nossa

Lindolf Bell

Poeta catarinense, pouco conhecido fora de suas terras, apesar de sua densa obra. O primeiro de alguns poemas dele que disponibilizarei aqui.

share save 171 16 Livra o nome de inúteis sons
Um comentário em “Livra o nome de inúteis sons”
  1. LINDO POEMA!!!!!!
    CONHECI LINDOLF BELL EM 1967 OU 68 EM SAO PAULO,NO TEMPO DE SUA CATEQUESE POETICA.
    SEUS POEMAS VIGOROSOS E AO MESMO TEMPO DOCES SAO UMA BENCAO PARA OS OUVIDOS.
    QUE BOM QUE O ENCONTREI!!!!!

Deixe um comentário





Blog integrante da rede Soylocoporti